Notícias

RCA: Bispo de Bangassou denuncia violência contra missões

Em recente entrevista à Rádio Vaticano, o bispo denunciou as terríveis violências e o terror em que a população vive.

09/08/2017 08:45:00


Dom Juan José Aguirre Muñoz, 63, espanhol, é o bispo comboniano de Bangassou, sudeste da República Centro-africana. Este é o relato enviado por e-mail e whatsapp a um irmão, na noite de 08 de agosto:

“Atacaram a missão de Gambo, a 75km de Bangassou e jovens muçulmanos ‘seleka’ degolaram muitos homens e crianças. Não ouvem ninguém, querem apenas brigar. Sentam-se na frente da catedral e não deixam as pessoas entrar. Há três domingos não conseguimos abri-la”.

Dom Aguirre explica ainda que aos domingos vai ao Congo celebrar a missa, onde há 10 mil desabrigados. O bispo declara que ‘não confia nos soldados da Minusca, o comando coordenado pela ONU com tropas africanas’.

“Precisamos de suas orações”, escreve ao irmão.

“A missão de Gambo foi saqueada, cinquenta pessoas foram mortas, e a missão de Bema também corre o mesmo risco”, adverte.

Em recente entrevista à Rádio Vaticano, o bispo denunciou as terríveis violências e o terror em que a população vive: “Cerca de dois mil muçulmanos permanecem entrincheirados num pequeno seminário do arcebispado de Bangassou ‘sob proteção da Igreja’ e de capacetes azuis marroquinos. Ao seu redor – avisou - milicianos anti-balaka estão prontos a matá-los”.

 

Rádio Vaticano