quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Notícias

Em tempos de pandemia, projeto “Cada comunidade uma nova vocação” ganha força em todo o Brasil

A iniciativa de rezar uma dezena do terço pelas vocações, nasceu no Paraná, em 2017, através do Regional Sul 2 da CNBB. O projeto foi acolhido, de imediato, por grande parte da Igreja no Brasil.

27/07/2020 11:47:00


Um desejo ousado que nasceu no Paraná, através do Regional Sul 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), tomou enormes proporções nos últimos tempos e foi abraçado por grande parte da Igreja no Brasil. Trata-se do projeto: “Cada comunidade uma nova vocação”.

Conforme os idealizadores, a Igreja do Paraná, atenta à indicação de Jesus: “Pedi ao Senhor da messe que envie operários para a sua messe” (Mt 9,38), iniciou uma ação evangelizadora inédita, em 2017, em prol de vocações para a Igreja.

A proposta inicial era a de que cada comunidade do Paraná se pusesse em oração, como um único corpo, pedindo ao Senhor, por intercessão de Nossa Senhora, uma nova vocação para a Igreja.

De acordo com o Papa Francisco, vocação para o sacerdócio, a vida consagrada, a família, a missão, são dons concedidos somente por Deus, mas também é fruto da comunidade que reza. “Jesus nos disse que o primeiro método para obter vocações é a oração e nem todos são convencidos disso”, destaca o Pontífice. Além da oração, outro elemento essencial é o testemunho. Os jovens precisam ver testemunhos bonitos de pessoas que se dedicam inteiramente ao Senhor com alegria, para que possam se sentir motivados a apostar sua vida nesse mesmo caminho. “É verdade que o jovem sente o chamado do Senhor, mas o chamado é concreto e, na maioria das vezes, é: Quero me tornar como ele ou ela. Existem testemunhos que atraem os jovens. Os testemunhos dos bons sacerdotes e das boas religiosas”, complementa o Papa.

Desta forma, a Ação Evangelizadora: Cada comunidade uma nova vocação começou a se desenvolver a partir de dois eixos:

1º – Rezar pelas vocações: Em todos os encontros/reuniões da Igreja começar ou terminar com uma dezena do rosário pelas vocações. Ex. Assembleias dos Bispos, Reuniões de Clero, Conselhos de Pastoral, Encontros da Catequese, Movimentos e Organismos, dentre outros. É importante recordar às pessoas a intenção da oração: pelas vocações.

2º – Evangelizar pelas Redes Sociais. Publicar vídeos breves, densos de vida cristã-presbiteral-religiosa-laical (todas as vocações) nos meios de comunicação, interagindo com os Regionais, Arquidioceses, Dioceses, Paróquias, Pastorais, Movimentos Eclesiais, entre outros.

Tão logo foi lançada, tendo à frente do projeto o bispo de Paranavaí, Dom Mário Spaki que à época era padre e secretário executivo do Regional Sul2, essa iniciativa foi acolhida, com entusiasmo, por todos os bispos do Estado e teve seu marco oficial em 29 de março de 2018, passando pelo Sínodo, tendo na Jornada Mundial da Juventude (22 a 27 de janeiro de 2019, no Panamá) um momento forte, e um aprofundamento no Ano Vocacional de 2019 juntamente com o Congresso Vocacional Nacional e indo além, sem ter uma data oficial de fechamento.

Desde então, o projeto se espalhou por toda a Igreja do Brasil, sempre com grandes resultados, segundo a comunidade. Outros Países também adotaram a iniciativa e hoje, rezar uma dezena do terço pelas vocações, se tornou uma prática necessária e normal, em todos os encontros e reuniões da Igreja.

Atualmente, por causa da pandemia do Coronavírus, mais pessoas adotaram a medida também como pedido a Deus de proteção da saúde.