Notícias

Padre Cassiano Waldner: Vocação Sacerdotal a serviço da comunidade

Nascido na Itália e ordenado aos 22 anos, Padre Cassiano Waldner fez da Diocese de Guarapuava seu lar. Dentre tantas funções desempenhadas, por três anos, ele também foi Administrador Diocesano.

01/06/2016 17:04:00


Dentre tantas histórias que a Diocese de Guarapuava vivenciou ao longo dos seus cinquenta anos, o período em que esta ficou sem a presença de um Bispo vale destaque.

Era o ano de 1992, e a Diocese estava com 26 anos de existência. Muita coisa fora construída e os trabalhos do Bispado à época estavam a cargo do segundo Bispo da Diocese, Dom Albano Bortoletto Cavallin.

Dom Albano foi chamado para a Arquidiocese de Curitiba e, em seguida, foi nomeado Arcebispo de Londrina, no Norte do Estado.

Com a Diocese de Guarapuava vacante, um administrador precisou ser nomeado. Naquele momento, entrava em cena o Padre Cassiano Waldner.

Carismático e evangelizador, o Sacerdote Diocesano mostrou-se também um brilhante administrador nos três anos em que permaneceu à frente da Diocese. Ele deixou suas funções em março de 1995 quando o terceiro Bispo de Guarapuava, Dom Giovanni Zerbini, da Congregação Salesianos de Dom Bosco (SDB) assumiu as funções junto à Diocese.

SOBRE O SACERDOTE

Padre Cassiano Waldner nasceu no dia 31 de agosto de 1941, na região de Tirol do Sul, no Norte da Itália.

Desde criança, segundo a história contada por familiares, Cassiano demonstrava vocação ao sacerdócio. Aos 10 anos, entrou para o Seminário Diocesano de sua região. Aluno brilhante e evangelizador nato conseguiu cumprir todos os estudos em tempo recorde. Em 1964, aos 22 anos de idade, estava pronto para ser ordenado Padre.

Um pequeno entrave, no entanto, dava sinais de atrasar o recebimento das ordens por parte do então Seminarista Cassiano. De acordo com as normas da Santa Sé, ele só poderia ser ordenado com a idade mínima de 24 anos.

Percebendo a latente vocação sacerdotal do jovem, uma licença especial foi emitida pela mesma Santa Sé, autorizando sua ordenação. A cerimônia que ordenou Padre Cassiano aconteceu no dia 29 de junho, Dia de São Pedro e São Paulo com grande festa da comunidade a que ele pertencia.

Depois da ordenação, o jovem Padre passou a trabalhar em Paróquias de sua região. Quatro anos depois, sentiu a necessidade de ser missionário no Brasil.

Como havia conhecido Dom Frederico Helmel na Europa quando este era ainda Sacerdote e agora, então Bispo recém-nomeado para a nova Diocese de Guarapuava, sentiu interesse em partir rumo à América do Sul para exercer suas funções.

Segundo relatos, o convite para vir ao Brasil partiu de Dom Frederico através de correspondência antes mesmo de este ter sido nomeado Bispo.

Feliz pelo novo desafio, Padre Cassiano, então com 27 anos incompletos, deixou sua pátria e viajou para o Brasil.

O jovem Sacerdote chegou à nova pátria no dia 15 de agosto de 1968. Relatos dão conta da grande vontade que o ele tinha de trabalhar em prol das pessoas, principalmente as mais pobres, no país ainda desconhecido por ele.

Dom Frederico já o aguardava no Rio de Janeiro. Tão logo chegou, embarcaram rumo a Guarapuava, pois o espírito edificador de Dom Frederico ansiava por pessoas ávidas por trabalhar e a nova Diocese carecia de pessoas motivadas como Padre Cassiano.

A Paróquia de Sant’Ana em Pitanga foi designada ao Sacerdote estrangeiro recém-chegado ao Brasil.

O trabalho de Padre Cassiano se mostrou intenso na Paróquia e, em pouco tempo, ele foi nomeado Pároco daquela comunidade onde permaneceu por 18 anos.

Dentre os vários projetos executados pelo novo Pároco, a construção da nova Igreja Matriz, a Casa Paroquial, a Igreja da Comunidade Pitanguinha (atual Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro) e a Casa de Líderes Beato José Freinademetz merecem destaque.

Após 18 anos em Pitanga, por alguns meses, Padre Cassiano Trabalhou como Pároco de Nova Tebas, na Comunidade São Pedro Apóstolo.

Em 1987, o Bispo da Diocese, Dom Albano Cavallin convidou-o para trabalhar na Catedral Nossa Senhora de Belém, em Guarapuava onde exerceu as funções de Vigário-Geral e Pároco.

Percebendo a necessidade de se construir um novo salão paroquial para a Comunidade, Padre Cassiano, juntamente com os paroquianos, expos a ideia e, em seguida, passou a trabalhar no projeto. Tempos depois, a nova obra era entregue à população que comemorou o feito com uma grande festa.

Com a saída de Dom Albano da Diocese de Guarapuava, Padre Cassiano foi nomeado Administrador Diocesano pelo à época Arcebispo de Curitiba, Dom Pedro Antônio Marchetti Fedalto.

Paralelo ao cargo de Administrador Diocesano, Padre Cassiano também trabalhou em Entre Rios, exercendo suas funções sacerdotais junto à Paróquia São Miguel Arcanjo.

Em 1995, depois da posse de Dom Giovanni Zerbini (SDB) como Bispo de Guarapuava, foi então novamente acolhido na Catedral Nossa Senhora de Belém para exercer as funções de Vigário-Geral.

No ano seguinte, em 1996, Dom Giovanni nomeou-o Pároco da Comunidade Nossa Senhora Aparecida, Bairro Bonsucesso, em Guarapuava.

Aos moldes de Dom Frederico Helmel que tinha espírito edificador, Padre Cassiano, juntamente com a comunidade, deu início às obras do Santuário Nossa Senhora Aparecida que se mostra como um dos mais belos trabalhos de arquitetura sacra existente na região.

Padre Cassiano não conseguiu ver a obra do Santuário acabada. Ele morreu no dia 24 de novembro de 1998, por complicações respiratórias.

Nestes cinquenta anos da Diocese de Guarapuava, contar a história de Padre Cassiano se faz necessário e serve de base para se entender e perceber os caminhos percorridos até aqui.

Humilde e carismático, muitos são os feitos materiais deixados por Padre Cassiano. No entanto, as lembranças do homem evangelizador, paternal e missionário sempre pensando em prol das pessoas de sua comunidade são atributos que se perpetuarão na memória de todos.