Notícias

Nova beatificação que toca o Brasil: o missionário italiano, Pe. Giovanni Schiavo

Na manhã do dia 29, em sua reflexão do Ângelus, na Praça São Pedro, o Papa Francisco recordou a beatificação do padre João Schiavo.

30/10/2017 10:22:00


Foi beatificado, no dia 28 de outubro, em Caxias do Sul (RS), o padre Giovanni Schiavo (padre João Schiavo), missionário italiano da Congregação de São José, fundada por São Leonardo Murialdo.

O Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, Cardeal Angelo Amato, veio ao Brasil para beatificar o religioso. Segundo o purpurado, a figura do sacerdote “é caracterizada pela santidade e dinamismo apostólico. Segundo uma testemunha, o povo considerava santo padre Giovanni por sua maneira de ser, pelo seu modo de celebrar, rezar e acolher as pessoas”.

O sacerdote italiano desenvolveu as Obras Josefinas no Brasil, a formação religiosa dos primeiros confrades brasileiros e fundou a Congregação das Irmãs Murialdinas, segundo o carisma de São Leonardo Murialdo.

Na manhã do dia 29, em sua reflexão do Ângelus, na Praça São Pedro, o Papa Francisco recordou a beatificação do padre João Schiavo. “Ele trabalhou com zelo a serviço do povo de Deus”, disse o Sucessor de Pedro. “Que seu exemplo nos ajude a viver em plenitude à nossa adesão a Cristo e ao Evangelho”, reiterou.

As informações são da Rádio Vaticano.

CELEBRAÇÃO

O rito de beatificação foi composto por oito atos: pedido do bispo diocesano Dom Alessandro Ruffinoni para a beatificação, breve apresentação da biografia de padre João Schiavo pelo postulador padre Orides Ballardin, leitura da carta apostólica em latim, revelação do quadro de glória do beato, canto do hino de beatificação, exposição da relíquia, breve agradecimento do bispo diocesano Dom Ruffinoni e abraço da paz ao Cardeal Angelo Amato.

Ao final da homilia, lida na beatificação de João Schiavo, Dom Angelo Amato pediu: “Que o nosso beato nos abra os olhos para vermos e fazermos o bem, semeando em nossos corações, nas nossas comunidades, família e sociedade, o bem. Que possamos colher os frutos do bem que são amor, perdão, alegria, amizade e partilha, como foi a existência do Padre Schiavo. Contemplemo-lo, imitemo-lo e imploremos a sua intercessão”.

CNBB com informações de Julia Beck, da Redação do Portal da Canção Nova, com contribuição de Arquidiocese de Caxias do Sul.