Notícias

Celebrados os 75 anos de relações diplomáticas entre Santa Sé e Taiwan

Os palestrantes trataram de temas como o caminho das relações entre Taiwan e o Vaticano.

30/10/2017 15:11:00


Os 75 anos das relações diplomáticas entre República da China (Taiwan) e a Santa Sé foram celebrados no dia 26 de outubro, junto com os quatro anos de Pontificado do Papa Francisco.

Organizado na sede do Arcebispado pela Nunciatura Apostólica, pela Conferência Episcopal Regional Chinesa (Bispos de Taiwan) e pela Universidade Católica Fu Jen, o evento teve início com as saudações do Encarregado da Nunciatura Apostólica, Dom Slađan Ćosić; do Arcebispo de Taipei e Presidente da Conferência Episcopal, Dom John Shan-Chuan Hung; da Sra Anna Kao, Diretora Geral do Departamento do Ministério do Exterior para as relações com a Europa e pelo Presidente da Universidade Católica Fu Jen, Dr. Vincent Han-Sun Chiang.

Seguiram-se os pronunciamentos da religiosa Beatriz Leung (docente e pesquisadora na Universidade de línguas estrangeiras Wenzhao, das Irmãs Ursulinas), do Padre Jac Kuepers (vice-Presidente para a missão do novo Hospital da Universidade Fu Jen) e do Padre Louis Gendron, Decano da Faculdade de Teologia São Roberto Belarmino, de Nova Taipei.

Os palestrantes trataram de temas como o caminho das relações entre Taiwan e o Vaticano, as estatísticas atuais das atividades católicas no país e uma retrospectiva da missão de evangelização não somente na ilha, mas em todos os países e locais onde se fala o chinês.

Na parte da tarde, pronunciou-se o Núncio Apostólico na Austrália, Dom Adolfo Tito Yllana - que renovou a mensagem de colaboração por parte do Papa Francisco, com “o objetivo de construir pontes entre culturas e pessoas de diversas proveniências” – e o Ministro do Exterior David Tawei Lee, que sublinhou a importância de relações voltadas ao crescimento da convivência humana, com particular atenção a quem é desfavorecido.

As atividades do dia foram concluídas com a Celebração Eucarística presidida por Dom Adolfo Tito Yllana.

EM ROMA

As celebrações pelo 75° aniversário em Taipei seguiram aquelas realizadas em Roma. Em 05 de outubro, por exemplo, o aniversário foi celebrado na Pontifícia Universidade Urbaniana, na presença do Embaixador de Taiwan Matthew Lee e do Secretário para as Relações com os Estados, Dom Paul Richard Gallagher.

“Valorizamos muito a amizade com a Santa Sé – afirmou o Embaixador Lee - e as nossas ligações são marcadas por uma estreita e crescente amizade que se reflete nos nossos projetos humanitários, nos intercâmbios culturais, nos programas educativos, no diálogo inter-religioso, nas visitas recíprocas, na promoção de conferências católicas internacionais, iniciativas contra a reciclagem de dinheiros, compromissos contra o tráfico de seres humanos, um papel como ‘Igreja-ponte’ [com a China] e a nossa dedicação em proteger o ambiente”.

O Embaixador sublinhou que nas relações com Pequim “nós permanecemos decididos em seguir os seguintes princípios por um pacífico empenho com o Continente: não mudar as nossas promessas, não mudar a nossa boa vontade, nunca dobrar-nos às pressões e não voltar ao velho caminho do confronto [armado]. O nosso propósito não é somente manter a paz na região, mas também encorajar a China a ganhar uma posição como respeitada superpotência”.

Dom Paul Gallagher, por sua vez, recordou a longa história de colaboração entre a ilha e a Santa Sé, entre “a esfera civil e eclesial em várias áreas da vida social e cultural”, “na área da educação, da pesquisa científica, da promoção cultural, como também em diferentes iniciativas para a cooperação humanitária, muitas vezes desenvolvida em situações de crise”.

O prelado também reiterou “a inutilidade da guerra como forma de resolver as controvérsias internacionais”, citando o Papa Francisco, que recentemente afirmou a importância de “dissociar-se das assim chamadas ‘razões da guerra’”.

E concluiu, assegurando que “a Santa Sé continuará a ser o vosso comprometido parceiro na família dos povos, apoiando cada iniciativa que contribua ao diálogo, promovendo uma verdadeira cultura de encontro e construindo pontes de fraternidade e paz para o bem de todos”.

 

Rádio Vaticano com Asianews

Foto:

L’Osservatore Romano