Notícias

Rede Católica de Rádio: um olhar sobre a radiodifusão religiosa

A invenção do rádio está creditada ao italiano Gugliermo Marconi, no entanto, anos antes dele, o padre brasileiro Roberto Landell de Moura havia feito a primeira transmissão.

08/11/2017 11:10:00


No dia 7 de novembro, celebrou-se o Dia do Radialista. O Rádio é, na verdade, uma invenção católica e brasileira. Segundo um resumo recente sobre o assunto feito pelo jornalista Luis Nassif para a revista GGN, a patente da invenção do rádio está devidamente creditada ao italiano Gugliermo Marconi, no entanto, anos antes dele, um padre brasileiro havia feito a primeira transmissão da voz humana por meio das ondas radiofônicas. Nassif comenta: “Roberto Landell de Moura era um ‘Professor Pardal’ que levou a sério as suas experimentações com as ondas eletromagnéticas. Em 1894, apesar de transmitir um comunicado por vários quilômetros, na cidade de São Paulo, a sua invenção foi vista com desconfiança, porque muitos religiosos o acusavam de praticar feitiçarias e, por isso, o seu experimento não teve a visibilidade que merecia. Após muitos anos, Landell de Moura conseguiu patentear seu equipamento no Brasil e nos Estados Unidos”.

A patente da invenção do rádio está devidamente creditada ao italiano Gugliermo Marconi, no entanto, anos antes dele, um padre brasileiro havia feito a primeira transmissão da voz humana por meio das ondas radiofônicas.

Luis Nassif

O jornalista ainda traz informação publicada em outubro de 1902 pelo jornal norte-americano “The New York Herald”: “Por entre os cientistas, o brasileiro Padre Landell de Moura é muito pouco conhecido. Poucos deles têm dado atenção aos seus títulos para ser o pioneiro nesse ramo de investigações elétricas. Mas antes de Brigton e Ruhmer, o Padre Landell, após anos de experimentação, conseguiu obter uma patente brasileira para sua invenção, que ele chamou de Gouradphone”. Segundo informações do artigo de Nassif, o jornal publicou ampla reportagem sobre Landell de Moura, sua vida e obra, completada por uma fotografia do Padre, intitulada ‘Padre Landell de Moura – inventor do telefone sem fio’ (denominação da época para a radiotelefonia ou a transmissão da voz humana à distância sem fio condutor).

O RÁDIO E AS IGREJAS

Três estudiosos da comunicação, Nair Prata e Débora Cristina Lopez, da Universidade Federal de Ouro Preto e Wani Campelo do Centro Universitário de Belo Horizonte, fizeram uma apresentação sobre o rádio religioso no 37º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, o Intercom, realizado em Foz do Iguaçu (PR) em setembro de 2014. Na apresentação, afirmaram que “Há 70 anos foi ao ar o primeiro programa de rádio brasileiro de cunho religioso, A Voz da Profecia [programa da Igreja Adventista]. Hoje, rádio e igreja estão atados de forma visceral, ligando altares e microfones num fenômeno que desafia os pesquisadores do campo da Comunicação”.

No mesmo estudo, trataram do cenário católico: “A Igreja Católica tem longa tradição em transmissões radiofônicas. A Rádio Vaticano, emissora oficial dos católicos, foi criada pelo papa Pio XI e inaugurada em 12 de fevereiro de 1931, com utilização de duas frequências e um transmissor de 10kw. Hoje transmite em 45 idiomas, tem um site em português e sua programação é replicada por dezenas de rádios de todo o mundo. “[…] A Igreja Católica sempre teve o rádio como forte aliado em seu trabalho de evangelização. No entanto, é mais comum observarmos uma relação vertical entre a Igreja e devotos por intermédio dos meios de comunicação” (MARCELO, 2007, p.5). Isso se dá, segundo a autora, pelo caráter culturalmente hegemônico da própria instituição e não impede a adoção de estratégias que a aproximem dos fiéis através do dial.

REDE CATÓLICA DE RÁDIO

Informações apresentadas pelo Jornal Santuário, de Aparecida (SP), mostram que em 1994, a comunicação católica no Brasil inovou e lançou a Rede Católica de Rádio (RCR). Os mais distantes territórios passaram a receber uma comunicação cristã de qualidade e o Evangelho passou a ser mais disseminado país afora.  “De início havia o pensamento de que a RCR tinha um conceito somente de rede geradora via satélite, mas agora é mais além. É um projeto maior que distribui conteúdos, possibilita pequenas rádios integrar uma grande rede e aumentar a sua qualidade e capacidade e também dá a possibilidade de transmissão também via internet, de forma prática, rápida e acessível. O Portal da RCR se tornou um grande portal católico e integrador de conteúdo, pois é uma fonte de informação para outras emissoras, possibilitando rádios que eram desconhecidas passarem a ser notadas e fazer parte de um corpo produtor, ou seja, além das bases geradoras as emissoras menores também começam a produzir conteúdo e compartilhar. A RCR também é um sucesso com aplicativos para Android e iOS. É uma rede católica mais digitalizada”, afirmam os redatores do Jornal.

O lema da RCR é fortalecer a Igreja através do Rádio, e isso tem sido a nossa missão!  Em constante comunhão com as bases geradoras de conteúdo somos uma Rede a serviço da Igreja no Brasil.

Ângela M. Morais

No portal da Rede, encontra-se a informação de que, nos últimos anos, a RCR trabalha na realização de projetos conjuntos de cobertura nacional e internacional. A RCR é formada por sete grandes bases geradoras de rádio que produzem e distribuem conteúdos e programas colocando em comum o ideal evangelizador: Rede Aparecida (SP); Rede Canção Nova (SP); Rede Milícia Sat (SP); Rede Pai Eterno (GO); RedeSul de Rádio (RS); Rede Scalabriniana (RS); Rede Evangelizar é Preciso (PR) e RCR  (ES). O resultado desta parceria, segundo informações do Portal, é a produção e distribuição de conteúdo jornalístico Cristão, sempre primando pela qualidade direcionado à família respeitando a vida e os princípios da dignidade humana. A programação é composta por temas atuais, debates, notícias de repercussão nacional e internacional que gera e transmite conteúdo relevante para as rádios abordando assuntos do mundo Cristão e da sociedade como um todo.

CONTEÚDO

A produção da Rede é transmitida através dos programas como: Jornal Brasil Hoje; Plantão RCR; RCR em Debate; Igreja no Rádio; Consagração a Nossa Senhora, Palavra da CNBB, entre outros, a partir das diferentes regiões do Brasil.

Eleita em novembro de 2016, Ângela Maria de Morais é a nova presidente da RCR. Celebrando um ano de trabalho ela diz que “RCR passa por uma reestruturação desde sua fundação em julho de 1994! Para responder às demandas das novas tecnologias, precisamos estar em constante atualização e interação! O lema da RCR é fortalecer a Igreja através do Rádio, e isso tem sido a nossa missão! Em constante comunhão com as bases geradoras de conteúdo somos uma Rede a serviço da Igreja no Brasil”.

 

CNBB