Notícias

Morre aos 84 anos o bispo emérito da diocese Nova Friburgo (RJ), Dom Rafael Llano Cifuentes

Doutor em Direito Canônico, Dom Rafael foi ordenado bispo auxiliar de São Sebastião do Rio de Janeiro, em 29 de junho de 1990. O seu lema episcopal foi “Omnia Traham ad Meipsum (Tudo atrairei a mim)”.

29/11/2017 15:31:00


O corpo do bispo emérito de Nova Friburgo (RJ), Dom Rafael Llano Cifuentes, foi sendo velado na Catedral Metropolitana de São Sebastião, no Rio de Janeiro, e sepultado hoje, quarta-feira, 29, no Mausoléu da Opus Dei, no Cemitério São Francisco Xavier, no Caju (RJ), como era de sua vontade. A concelebração de Exéquias foi às 14 horas.

O religioso morreu nesta terça feira (28), na casa da Opus Dei, no Rio de Janeiro, após longo período de enfermidade.

“Elevemos nossas fervorosas preces para que Deus acolha na sua felicidade eterna este servo bom e fiel, que nos seus cinquenta e oito anos de sacerdócio e vinte e sete de episcopado foi um generoso pastor que serviu a Igreja e seu povo com alegria”, destaca o bispo de Nova Friburgo, Dom Edney Gouvêa Mattoso em nota oficial.

“Dom Rafael deixa-nos um belo legado e ensinamentos que serão transmitidos às próximas gerações de nossa Igreja. Firmes na esperança; rogamos a Deus para que acolha em seu Reino esse seu servo bom e fiel”, ressalta a nota de pesar da presidência do Regional Leste 1 da CNBB.

Doutor em Direito Canônico, Dom Rafael foi ordenado bispo auxiliar de São Sebastião do Rio de Janeiro, em 29 de junho de 1990. O seu lema episcopal foi “Omnia Traham ad Meipsum (Tudo atrairei a mim)”. Nascido em 18 de fevereiro de 1933 na Cidade do México, foi ordenado presbítero em 20 de dezembro de 1959 em Madrid na Espanha.

Membro da Opus Dei onde foi secretário do fundador da São Josémaria Escrivá de Balaguer, ele mesmo dizia que “a vivência ao lado de São Josemaria representou o fator preponderante da sua vocação”. Dom Rafael viveu intensamente o seu ministério presbiteral e episcopal. Professor, escritor e membro da Academia Brasileira de Filosofia, deixa uma vasta obra para a nossa Igreja.

ATIVIDADE COMO BISPO

Como bispo auxiliar do Rio de Janeiro de 1990 a 2004, criou, na coordenação da Pastoral da Juventude, os “Encontros Jovem-Rio” que acontecia a cada dois anos em união com o Papa nas Jornadas Mundiais da Juventude. Fundou ainda o Curso de Liderança para Coordenadores que atuavam ou que desejavam atuar na pastoral.

Em 2004, foi nomeado bispo diocesano de Nova Friburgo (RJ), onde ficou até 2010 quando pediu renúncia. Um dos legados do seu governo pastoral na diocese, foi construção do Seminário Diocesano da Imaculada Conceição, como prova de seu devotamento às vocações sacerdotais e como grande incentivador das mesmas num ambiente digno e sadio que gerasse vida espiritual, convívio fraterno e amor à Igreja.

Em 2007 foi eleito presidente do Regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cargo que ocupou até maio de 2011. Foi presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Vida e Família da Conferência e escolhido bispo responsável pela Delegação Oficial do Brasil para VI Encontro Mundial do Papa com as Famílias em maio de 2008.

Dom Rafael publicou várias obras literárias de cunho canônico, espiritual e pastoral, foi eleito membro da Academia Brasileira de Filosofia no dia 04 de setembro de 2008 para a 16ª cadeira antes ocupada por Dom Estevão Tavares Bittencourt.

Nota de condolências da CNBB pelo falecimento de dom Rafael Llano Cifuentes

 

Brasília, 29 de novembro de 2017

 

Prezado Irmão, dom Edney Gouvêa Mattoso.

 

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) manifesta seu pesar pelo falecimento do bispo emérito da diocese Nova Friburgo (RJ), Dom Rafael Llano Cifuentes, ocorrido nesta terça-feira, 28 de novembro.

Lembramos, com gratidão, o serviço prestado por Dom Rafael junto à comissão episcopal pastoral para vida e família de nossa Conferência, além de vários outros trabalhos realizados no âmbito do regional Leste 1. Dedicado e competente, ele sempre respondeu aos apelos dos irmãos no episcopado com disponibilidade e alegria.

Endossamos a expressão do senhor quando afirmou que “Dom Rafael deixa-nos um belo legado e ensinamentos que serão transmitidos às próximas gerações de nossa Igreja”. Sua atuação no campo do Direito e em defesa da vida são marcas indeléveis desse legado.

Recordamos ainda o lema episcopal de Dom Rafael que muito nos diz da missão de todo cristãos que é proclamar a realeza de Cristo e anunciá-la com palavras e obras: “Omnia Traham ad Meipsum” (Tudo atrairei a mim). Realeza de Cristo explicitada na homilia da Solenidade do Cristo Rei do ano passado pelo Papa Francisco: “Para acolher a realeza de Jesus, somos chamados a lutar contra esta tentação, a fixar o olhar no Crucificado, para Lhe sermos fiéis cada vez mais. Mas, em vez disso, quantas vezes se procuraram – mesmo entre nós – as seguranças gratificantes oferecidas pelo mundo! Quantas vezes nos sentimos tentados a descer da cruz! A força de atração que tem o poder e o sucesso pareceu um caminho mais fácil e rápido para difundir o Evangelho, esquecendo depressa como atua o reino de Deus […] Este tempo de misericórdia chama-nos a contemplar o verdadeiro rosto do nosso Rei, aquele que brilha na Páscoa, e a descobrir novamente o rosto jovem e belo da Igreja, que brilha quando é acolhedora, livre, fiel, pobre de meios e rica no amor, missionária”.

Consolados pela fé, enviamos nosso abraço fraterno ao senhor, aos familiares de dom Rafael Llano Cifuentes e a todas as comunidades da diocese de Nova Friburgo.

 

Em Cristo,

 

Cardeal Sergio da Rocha

Arcebispo de Brasília (DF)

Presidente da CNBB

 

Dom Murilo S. Krieger

Arcebispo de Salvador (BA)

Vice-Presidente da CNBB

 

Leonardo Ulrich Steiner

Bispo Auxiliar de Brasília (DF)

Secretário-Geral da CNBB

 

CNBB