Notícias

1º de dezembro: um convite à solidariedade com quem vive com o vírus HIV

“Diante do HIV todos somos vulneráveis. A epidemia da Aids continua avançando e atingindo a todos. Junto com a infecção, o vírus ainda provoca sofrimento, angústia, discriminação e muitas mortes”.

01/12/2017 08:46:00


A Pastoral da Aids, serviço da Igreja Católica que tem por missão promover vida saudável, incentivando o cuidado de si e dos outros e está presente em quase todos os 18 regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), realiza atividades para despertar a solidariedade por ocasião do Dia Mundial de Luta contra a Aids, neste 1º de dezembro.

No dia 2 de dezembro, a partir das 8h00, no Cristo Rendetor, agentes da Pastoral da Aids do Regional Leste 1 realizarão uma missa, a ser presidida por Dom José Francisco, bispo referencial da Pastoral da Aids do Leste 1, seguida de apresentação de banda, panfletagem, confraternização e almoço.

“Diante do HIV todos somos vulneráveis. A epidemia da Aids continua avançando e  atingindo a todos. Junto com a  infecção, o vírus ainda  provoca sofrimento, angústia, discriminação e muitas mortes”, alerta Maria Lúcia, coordenadora da Pastoral da Aids no regional Leste 1. Os dados dão conta de que mais de 136 mil brasileiros convivem sem saber com vírus da síndrome da imuno-deficiencia, o HIV como é mais conhecido, pois nunca fizeram o teste da Aids.

A coordenadora da Pastoral da Aids da Região Leste 1 chama a atenção para o fato de que grande parte da população nunca se testou. “Muitas pessoas recebem o diagnóstico quando já estão doentes. O diagnóstico precoce torna ao tratamento e o cuidado eficientes, evitando doenças e garantindo qualidade de vida”, disse.

Sentido do 1º de dezembro – O Dia Mundial de Luta Contra a Aids é um convite à solidariedade com quem vive com HIV  e está em situação de vulnerabilidade ou exclusão. Também é uma oportunidade para combater a discriminação e o preconceito, denunciar a falta de acesso aos serviços e aos direitos, incentivar as pessoas a fazer o teste do HIV e fortalecer a política de acesso universal à prevenção tratamento e o cuidado.

No Brasil, as pessoas que vivem com o HIV recebem o tratamento gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A Pastoral da Aids defende que as políticas em HIV, aprovadas em 1990, se fortalecem por meio do fortalecimento do SUS.

Atualmente, informa a Pastoral da Aids, os avanços da medicina, o esforço de gestores e o empenho da sociedade civil fizeram da Aids uma doença tratável. “Com o conhecimento e as tecnologias é possível viver com qualidade mesmo tendo HIV. É o SUS quem garante estes avanços. Apoiar o SUS é apoiar a resposta brasileira contra a Aids”, informa a Pastoral (da Aids).

Programação no Cristo Redentor – 02 de dezembro

08h00 = Missa

10h30 =  Café

11h00 = Banda e panfletagem

12h30 = Almoço

14h00 = Confraternização

15h30 = Encerramento