Notícias

Propostas para o Dia Mundial do Pobre 2018 e a CF 2019 foram debatidas por membros do Consep

Instituído em 2017 pelo Papa Francisco na conclusão do Ano Santo extraordinário da Misericórdia, o Dia Mundial dos Pobres tem sua celebração marcada para o XXXIII Domingo do Tempo Comum.

20/02/2018 16:21:00


Dois temas tomaram a maior parte do tempo da reunião dos bispos que integram o Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) na tarde do último dia 19 de fevereiro: Campanha da Fraternidade 2019 e o Dia do Pobre. Integram o Consep a presidência da CNBB e os presidentes das 12 Comissões Episcopais Pastorais da entidade.

Instituído em 2017 pelo Papa Francisco na conclusão do Ano Santo extraordinário da Misericórdia , o Dia Mundial dos Pobres tem sua celebração marcada para o XXXIII Domingo do Tempo Comum. No Brasil, a animação e coordenação das atividades foram delegadas à Cáritas Brasileira, um dos organismos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), por sua experiência na realização da Semana da Solidariedade.

O diretor-executivo da Cáritas Brasileira, Luiz Claudio Mandela, apresentou aos bispos membros do Consep a proposta metodológica, bem como as atividades de sensibilização e mobilização para o ano de 2018, incluindo uma atividade na 56ª Assembleia Geral, em Aparecidea (SP). A proposta é realizar atividades durante uma semana denominada de “Jornada Mundial dos Pobres”. Uma novidade, inspirada no Papa Francisco, é a realização de uma Mesa Fraterna Nacional.

A proposta de trabalho recebeu emendas e sugestões dos membros do Consep. Uma delas foi de Dom Esmeraldo Barreto de Farias, bispo-auxiliar de São Luís do Maranhão e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária. Segundo ele é necessário inserir, na jornada, o pobre como sujeito da Igreja e de direitos.

Outro assunto debatido pelos participantes foi a primeira versão do texto mártir da Campanha da Fraternidade 2019 cujo tema é: “Fraternidade e Políticas Públicas” e o lema: “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1, 27). Os participantes consideram que é necessário traduzir o texto, em processo de elaboração por uma equipe de especialistas, para uma linguagem mais popular.

 

CNBB