Notícias

Padre Carlos de Oliveira Egler é o novo ecônomo da diocese de Guarapuava

O presbítero que atua como administrador da paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Guarapuava, foi nomeado pelo bispo Dom Antônio Wagner da Silva no dia 01 de março deste ano.

23/03/2018 10:44:00


No dia 01 de março de 2018, o padre Carlos de Oliveira Egler, que atua como administrador da paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Guarapuava, assumiu a função de ecônomo da diocese. Ele ocupa o lugar do padre Sercio Ribeiro Catafesta, que permaneceu na função por seis anos. A posse foi dada pelo bispo da diocese de Guarapuava, Dom Antônio Wagner da Silva.

Em entrevista ao Centro Diocesano de Comunicação, (CDC), padre Carlos disse que se sente honrado pela oportunidade que lhe foi oferecida e também pela confiança nele depositada através do bispado, dos consultores e dos funcionários. O sacerdote adiantou ainda que pretende trabalhar muito em favor da diocese, dando seguimento à caminhada que já vinha sendo desenvolvida pelo ecônomo anterior.

“A economia da Igreja é, antes de tudo, um trabalho de evangelização. Eu agradeço pela confiança em mim depositada pelo bispo Dom Wagner e demais Conselhos, pois conto com o apoio de uma equipe preparada e muito eficiente no desempenho das tarefas. Isso me deixa muito confiante, pois sei que posso contar com cada um desses colaboradores e amigos. Pretendo dar seguimento ao trabalho excelente que já vinha sendo feito pelo padre Sercio que, ao longo de seis anos, promoveu muitas mudanças e melhorias em nossa diocese. Conto com as orações de todos para que eu possa trabalhar com discernimento e muita dedicação sempre buscando o melhor para a nossa Igreja”, ressaltou padre Carlos. 

Dom Wagner, após dar posse ao novo ecônomo, rezou uma missa em ação de graças pelo momento. Segundo o bispo que se recupera de um problema de saúde, o momento é de muitas orações e agradecimentos, com um olhar sempre fito no futuro e na esperança de dias melhores para a Igreja de Guarapuava.

“Há sempre um período de adaptação em se tratando de mudanças, em todos os setores. Na Igreja não é diferente. Mas estes momentos são muito importantes, pois nos possibilitam refletir, pensar e planejar as ações futuras. A chegada do padre Carlos como ecônomo de nossa diocese não significa o fim de um período e o começo de outro, mas sim, o avançar em uma caminhada que deve ser contínua, de orações, de perseverança e de fé. Dou as boas-vindas ao padre Carlos e, junto com todos da diocese, me ponho à disposição para que esta caminhada seja de confiança, esperança e muito amor”, destacou Dom Wagner.

O bispo também agradeceu e pediu muitas orações pelo padre Sercio Ribeiro Catafesta que por seis anos esteve à frente do setor econômico da diocese de Guarapuava. “Eu agradeço de todo coração ao padre Sercio pelo brilhante trabalho desempenhado em nossa diocese, ao longo de seis anos. O caminho não foi fácil, como nenhuma caminhada verdadeira é, mas só temos a agradecer pela dedicação, carinho, responsabilidade e inteligência com que foi conduzido este setor importante da Igreja. Muito obrigado”, agradeceu Dom Wagner.

Padre Sercio, por sua vez, falou que ter trabalhado como ecônomo da diocese de Guarapuava foi uma experiência única de um aprendizado que vai levar para sempre. “Foram seis anos de muito trabalho e aprendizado. Este é um ensinamento que não se adquire nas universidades nem em um curso específico. Durante este período, vivi momentos importantíssimos da minha vida. Este período me deu a certeza de que devo servir, cada vez mais, à Igreja e as pessoas que compõem esta grande família. Eu agradeço a todos pela confiança, em especial ao Dom Wagner que, mesmo ante as maiores dificuldades que vivenciei, nunca perdeu a confiança em meu trabalho e em meus reais objetivos enquanto padre e administrador dos bens da Igreja”; sublinhou o sacerdote.

Padre Sercio, ao longo de seis anos, promoveu diversas reformas nas edificações da diocese, tais como Edifício Nossa Senhora de Belém, Casa de Líderes Nossa Senhora de Guadalupe, casa do bispo, reflorestamento de um terreno rural que pertence à Igreja, além da compra de uma chácara para acampamentos e retiros, na localidade de Saltinho, saída para o distrito de Guairacá. No local, foram construídas estruturas para a realização dos eventos religiosos. Também sob sua administração, foi implantada a loja Nossa Senhora de Belém, Livros e Artigos Religiosos, no térreo do Edifício Nossa Senhora de Belém, no centro de Guarapuava. Padre Sercio também foi o responsável pela instalação do Sistema Maistre de Gestão Pastoral. Através desse sistema de informática, todas as paróquias e comunidades da diocese passaram a trabalhar interligadas e isto, conforme informações dos funcionários; possibilitou maior facilidade e transparências nas atividades da Igreja.

Padre Sercio, além da formação presbiteral, também cursou Direito e fez dois mestrados em Direito Civil, um pela Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), em Santa Catarina e outro pela Universidade do Minho, em Portugal. O presbítero também possui especialização em Direito do Trabalho e pós-graduação em administração eclesial.

Atualmente, padre Sercio trabalha na paróquia Imaculada Conceição, em Rio Branco do Ivaí, uma vez que o pároco daquela comunidade, padre Roman Ceglaski, morreu no dia 23 de dezembro de 2017.

“Sou um servo da Igreja. Onde me mandarem, eu trabalho. Estou aqui para fazer o meu melhor”, afirmou padre Sercio.