Notícias

GUARAPUAVA: Milhares de pessoas participam da celebração de Corpus Christi

A cada ano, o número de pessoas aumenta no evento que é sinônimo de alegria e de união. As treze paróquias do decanato centro da diocese de Guarapuava celebraram juntas o momento.

01/06/2018 11:08:00


Mais de dez mil pessoas participaram da celebração de Corpus Christi, em Guarapuava, na manhã do dia 31 de maio.

A estimativa do público, leva em conta a quantidade hóstias distribuídas pelos sacerdotes e ministros no momento da Eucaristia.

Como em anos anteriores, as festividades começaram com a concentração de pessoas na paróquia Santa Terezinha, no Bairro Batel. Depois, os participantes seguiram em procissão até a Praça da Fé, onde ocorreu a missa presidida pelo bispo da diocese de Guarapuava, Dom Antônio Wagner da Silva e concelebrada por sacerdotes das diversas paróquias que compõem o decanato centro da diocese de Guarapuava.

Para o coordenador da Ação Evangelizadora da diocese, padre Itamar Abreu Turco, a celebração de Corpus Christi é sempre um lembrete de que a Eucaristia é essencial e motivadora da vida da Igreja. “Na celebração de Corpus Christi, se recorda e se reflete sobre a Eucaristia, que é a verdadeira motivação e inspiração para a vida da Igreja. Toda celebração é a celebração da Páscoa e, ao celebrarmos a Páscoa, todos nós lembramos a passagem. Nós passamos da morte para a vida, da escravidão para a liberdade. Eucaristia é união e, nesta união, comungamos de uma só fonte, Jesus Cristo”, sublinhou padre Itamar.

Dom Wagner observou que Corpus Christi é a celebração do amor, da alegria e da fraternidade entre as pessoas.

“Esta é uma celebração que tem origem exatamente no amor, louvor e presença do Cristo Eucarístico vivo entre nós. Sempre é um momento de vivermos este amor, de anunciarmos esta alegria. Este é um momento de unidade e de paz que mostra a verdadeira beleza que é a Igreja em festa”, destacou o bispo.

Dom Wagner ainda se recupera de um problema de saúde pelo qual passou no início do ano em Roma, Itália, quando participava de um evento de sua congregação, os Dehonianos e, por isso, pela primeira, vez, não pôde participar da procissão. “Eu peço desculpas por não poder participar desta maravilha que é a procissão com o Santíssimo, mas agradeço a todos os que se mantiveram firmes neste propósito. Desde muito cedo, os jovens, os grupos das paróquias já confeccionavam os tapetes. Em muitos casos, este trabalho vinha sendo planejado há meses. Este é um sinal do amor do nosso povo para com esta celebração, para com este momento de muita festa e agradecimento”, sublinhou Dom Wagner.

Este ano, o tema da celebração de Corpus Christi em Guarapuava foi: Isto é meu sangue (Mc 14,22).

Os milhares de fiéis acompanharam o Santíssimo, exibido em carro aberto. Nas casas por onde a procissão passou muitas pessoas prepararam altares e se reuniram em família para acompanhar o momento devocional.

SOBRE CORPUS CHRISTI

A festa de Corpus Christi (Corpo de Cristo) do latim, tem por objetivo celebrar solenemente o mistério da Eucaristia, o Sacramento do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo.

A festa é realizada sempre em uma quinta-feira, em alusão à Quinta-feira Santa, quando se deu a instituição deste sacramento. Durante a última ceia de Jesus com seus apóstolos, Ele mandou que celebrassem Sua lembrança comendo o pão e bebendo o vinho que se transformariam em seu Corpo e Sangue.

“O que come a minha carne e bebe o meu sangue, tem a vida eterna e, eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne é verdadeiramente comida e o meu sangue é verdadeiramente bebida. O que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. O que come deste pão viverá eternamente” (Jo 6, 55 – 59).

Através da Eucaristia, Jesus nos mostra que está presente ao nosso lado, e se faz alimento para nos dar força para continuar. Jesus nos comunica seu amor e se entrega por nós.

ORIGEM DA CELEBRAÇÃO

A celebração teve origem em 1243, em Liège, na Bélgica, no século XIII, quando a Freira Juliana de Cornion teria tido visões de Cristo demonstrando-lhe desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com destaque.

Em 1264, o Papa Urbano IV através da Bula Papal “Trasnsiturus de hoc mundo”, estendeu a festa para toda a Igreja, pedindo a São Tomás de Aquino que preparasse as leituras e textos litúrgicos que, até hoje, são usados durante a celebração. Compôs o hino “Lauda Sion Salvatorem” (Louva, ó Sião, o Salvador), ainda hoje usado e cantado nas liturgias do dia pelos mais de 400 mil sacerdotes nos cinco continentes.

A procissão com a Hóstia consagrada conduzida em um ostensório é datada de 1274. Foi na época barroca, contudo, que ela se tornou um grande cortejo de ação de graças.

NO BRASIL

No Brasil, a festa passou a integrar o calendário religioso de Brasília, em 1961, quando uma pequena procissão saiu da Igreja de madeira de Santo Antônio e seguiu até a Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima. A tradição de enfeitar as ruas surgiu em Ouro Preto, cidade histórica do interior de Minas Gerais.

A celebração de Corpus Christi consta de uma missa, procissão e adoração ao Santíssimo Sacramento.

A procissão lembra a caminhada do povo de Deus, que é peregrino, em busca da Terra Prometida. No Antigo Testamento esse povo foi alimentado com maná, no deserto. Hoje, ele é alimentado com o próprio Corpo de Cristo.

Durante a Missa o celebrante consagra duas hóstias: uma é consumida e a outra, apresentada aos fiéis para adoração. Essa hóstia permanece no meio da comunidade, como sinal da presença de Cristo vivo no coração de sua Igreja.