Notícias

Sete bispos brasileiros participam de Congresso Missionário Americano, na Bolívia

Este ano, a temática do congresso foi: “A Alegria do Evangelho, coração da missão profética, fonte de reconciliação e comunhão” e o lema “América em missão, o Evangelho é Alegria”.

19/07/2018 08:44:00


De 10 a 14 de julho, missionários e missionárias de diversos países da América, participaram do 5º Congresso Missionário Americano (CAM5), em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. Do Brasil foram quase 200 missionários de todos os 18 Regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Dentre eles, leigos, sacerdotes, diáconos, religiosos e seminaristas.

Além dos bispos de Crateús (CE), Dom Ailton Menegussi; de São Gabriel da Cachoeira (AM), Dom Edson Damian; o bispo auxiliar de São Luís do Maranhão (MA), Dom Esmeraldo Barreto Farias; de Estância (SE), Dom Giovanni Crippa; de Osório (RS), Dom Jaime Pedro Kohl; de Ponta Grossa (PR), Dom Sérgio Arthur Braschi e o arcebispo de Campo Grande (MS), Dom Janusz Marian Danecki. O diretor nacional das Pontifícias Obras Missionárias (POM), padre Maurício da Silva Jardim, também integrou a delegação brasileira.

Para o bispo auxiliar de São Luís do Maranhão (MA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB, Dom Esmeraldo Barreto Farias, esses congressos aprofundam o sentido missionário da Igreja. “A Igreja peregrina é, por sua natureza, missionária, visto que tem a sua origem, segundo o desígnio de Deus Pai, na ‘missão’ do Filho e do Espírito Santo”.

O objetivo geral do CAM 5 é fortalecer, nas Igrejas das Américas, a identidade e o compromisso missionário Ad Agentes, anunciando a Alegria do Evangelho a todos os povos, com particular atenção às periferias do mundo de hoje, a serviço de uma sociedade mais justa, solidária e fraterna.

Este ano, a temática do congresso foi: “A Alegria do Evangelho, coração da missão profética, fonte de reconciliação e comunhão” e o lema “América em missão, o Evangelho é Alegria”. Nesse contexto, foram discutidas formas de avivar a fé, com renovado compromisso missionário para que a Alegria do Evangelho, como anúncio querigmático, dinamize a vida missionária de nossas Igrejas no continente.

“A missão é profundamente eclesial, comunitária. Não podemos vivê-la de modo individualista”, destaca Dom Esmeraldo.

Os congressos missionários americanos tiveram origem em congressos missionários diocesanos e nacionais que, a partir do concilio Vaticano II, foram aprofundando o sentido missionário da Igreja, como encontramos no decreto Ad Gentes. A Conferência Episcopal Mexicana realizou belas iniciativas no sentido de refletir sobre esse tema. Em 1977, retomando a riqueza da exortação apostólica Evangelii Nuntiandi, publicada pelo Papa Paulo VI em 1975, aconteceu o primeiro congresso missionário latino-americano (COMLA) em Terreón, México. A partir de 1999, os congressos missionários passaram a ser em nível de toda a América. Daí nasceu o 1º Congresso Missionário Americano (CAM). O 4º Congresso foi realizado em Maracaibo, Venezuela, em 2013.

Segundo Dom Esmeraldo, enquanto os congressos missionários iam se realizando, surgia no Brasil, em 1972, o projeto Igrejas Irmã com a finalidade de ajudar Igrejas com maiores dificuldades no Brasil, em termos de missionários ministros ordenados, religiosos e leigos.

 

CNBB