Notícias

Comissão para Cultura e Educação da CNBB prepara balanço das atividades realizadas

O encontro foi de avaliação do ambiente interno, com destaque para dos pontos fortes dos trabalhos realizados até o momento.

24/09/2018 10:32:00


Bispos e assessores da Comissão Episcopal Pastoral para Cultura e Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), se reuniram em Brasília (DF), para fazer um balanço dos trabalhos realizados pela comissão nesta atual gestão. Na oportunidade, eles também aproveitaram para finalizar a preparação de algumas atividades que serão realizadas nos próximos meses.

“Neste momento, estamos fazendo uma avaliação do ambiente interno. Aquilo que a Comissão trabalhou e que se sentiu realizada enquanto pontos fortes do trabalho, mas também, identificando aqueles pontos fracos que precisam ser fortalecidos”.

Na avaliação, Dom João Justino destacou os pontos positivos do trabalho da comissão nos vários setores. São eles:

- Universidades: articulação e o avanço na criação de novos polos em diversos regionais da CNBB.

- Educação: o 19º Encontro Nacional da Pastoral da Educação, realizado de 28 a 30 de setembro, no Rio de Janeiro (RJ) com o tema: “O atual cenário da Educação Brasileira e as perspectivas para a Pastoral da Educação”.

- Cultura: o Caminho Religioso da Estrada Real (Crer) que liga dois Santuários, o de Nossa Senhora Aparecida (SP) ao da Piedade (MG). A maior rota de turismo religioso do País, com 1.032 km de extensão, passando por 38 municípios, entre Minas Gerais e São Paulo, três arquidioceses (Belo Horizonte/MG, Mariana/MG e Aparecida/SP) e três Dioceses (São João Del Rei/MG, Campanha/MG e Lorena/SP).

- Ensino Religioso: o trabalho de revitalização do setor com a chegada do novo assessor

Durante o encontro, a Comissão também discutiu as perspectivas de futuro e quais são os desafios da sociedade atual – oportunidades, dificuldades e ameaças que podem surgir.

“Esse levantamento é para deixar para a futura Comissão algumas janelas abertas. Pensando no trabalho da comissão, embora a futura gestão tenha a liberdade de ação, somos Igreja. Temos as diretrizes gerais da CNBB que nos indicam certa continuidade da missão. Haverá novidades, mas também há um fio condutor que é a missão evangelizadora. No nosso caso, no setor educação, universidades, cultura e ensino religioso”, disse o presidente da Comissão.

 

CNBB