Notícias

Pastorais marcam a presença da Igreja junto a parcelas específicas do povo de Deus

Cada pastoral, em sua especificidade, busca atuar junto a um grupo específico, levando a presença da Igreja com linguagem e metodologias próprias.

10/10/2018 11:03:00


Na foto: Reunião do Conselho Pastoral do Pescadores (CPP-MG) da Comunidade Tradicional Pesqueira e Vazanteira de Canabrava, em Buritizeiro, Norte de Minas Gerais.

Atualmente, 21 pastorais integram a ação da Igreja do Brasil junto a parcelas específicas do povo de Deus. Um conjunto delas faz um recorte etário, desenvolvendo metodologias apropriadas e voltando sua atuação para interesses específicos de faixa-etárias, como a Pastoral da Criança, Pastorais da Juventude e Pastoral da Pessoa Idosa.

Outras pastorais têm o mote da mobilidade humana como foco do seu trabalho. Há na CNBB o Setor de Pastoral da Mobilidade Humana que articula o trabalho desenvolvido por pastorais, tais como: Pastoral de Brasileiros no Exterior, Pastoral dos Nômades, Pastoral dos Refugiados, Pastoral Rodoviária, Pastoral do Turismo, entre outras.

O bispo de Pesqueira (PE), Dom José Luiz Ferreira Salles, bispo referencial do Setor de Mobilidade Humana da CNBB, destacou que as pastorais do mundo da mobilidade têm trabalhado no sentido de ser uma presença da misericórdia da bondade de Deus para o povo. Na atual conjuntura, onde há muita mobilidade devido às guerras, violência e a fome, o religioso destaca as iniciativas solidárias para acolher, proteger e integrar os imigrantes e refugiados.

LINGUAGEM E METODOLOGIA PRÓPRIAS

Cada pastoral, em sua especificidade, busca atuar junto a um grupo específico, levando a presença da Igreja com linguagem e metodologias próprias. É o caso de pastorais que atuam com o povo de rua, com mulheres marginalizadas, portadores do vírus HIV, pescadores, presos e afro-brasileiros.

A CNBB mantém com estes organismos vinculados uma relação que, como prevê o artigo 16º de seu regimento interno, busca favorecer a comunhão e a participação ativa na vida da Igreja. Para tanto, realiza reuniões regulares com os dirigentes dos organismos representativos das diversas parcelas do povo de Deus e dos organismos vinculados a ela bem como promove, periodicamente, encontros mais amplos para reflexão e consulta sobre a Pastoral Orgânica nacional, em vista da realidade do País.

Para que sejam consideradas vinculadas à Conferência, estas pastorais são submetidas a aprovação na Assembleia Geral dos Bispos do Brasil. É necessário que conste de seus estatutos que seguem as diretrizes da CNBB, estejam relacionadas com alguma das comissões pastorais que a entidade designar, que sua diretoria seja escolhida e homologada. Um membro aprovado pela CNBB acompanha a instituição, tendo assento e voto ao menos consultivo, junto à sua direção e Assembleia.

Estas são as Pastorais vinculadas à CNBB: Afro-brasileira, Aids, Brasileiros no Exterior, Carcerária, Criança, Familiar, Menor, Mulher Marginalizada, Nômades, Operária, Pescadores, Pessoa Idosa, Povo de Rua, Refugiados, Rodoviária, Saúde, Sobriedade, Turismo e Vocacional.

 

CNBB