terça-feira, 15 de outubro de 2019

Artigo

GUARAPUAVA: Movimento Cursilho - avanços e desafios na evangelização de ambientes

Muitos foram os avanços do Movimento de Cursilhos nestes cinquenta anos na diocese de Guarapuava, com a conversão de milhares (isso mesmo: milhares) de pessoas para Cristo.

12/07/2019 11:10:00


Neste ano de 2019, quando o Movimento de Cursilhos celebra seus 50 anos de presença ativa na construção do Reino de Deus na diocese de Guarapuava, temos muito a celebrar. Também temos muito mais ainda a refletir sobre a nossa caminhada de mãos dadas nas mesmas estradas, ora florindo caminhos ao som dos passarinhos, ora enfrentando os desafios de um mundo que parece virar as costas para a verdade que é o Cristo.

Ao longo desses 50 anos, o Movimento de Cursilhos na diocese busca a vivência e a convivência do Fundamental Cristão (conversão aos valores do Reino de Deus), ajudando a todos e a cada um na realização de sua vocação pessoal. Com isso, se visa à criação de núcleos de cristãos nos ambientes, por meio do testemunho e de entendimento da Palavra. Em meio século de existência, o Movimento tem vivenciado a fé ardorosa de muitos irmãos e irmãs que se tornaram bons cristãos, fermentando de Evangelho os ambientes familiar, profissional, social, político e religioso onde estão inseridos.

A evangelização dos ambientes é, por excelência, a missão maior deste Movimento, que tem por norte introduzir, pela vida e pela Palavra, os critérios e valores do Evangelho no mundo, a modo de sal, fermento e luz.

Muitos foram os avanços do Movimento de Cursilhos nestes cinquenta anos na diocese de Guarapuava, com a conversão de milhares (isso mesmo: milhares) de pessoas para Cristo. Quantas comunidades surgiram?! Quantas comunidades cresceram e se fortaleceram em nossa diocese a partir de irmãos e irmãs que descobriram sua vocação de cristão leigo dentro de um Cursilho e puseram seus talentos a serviço do Reino?! A prova disso é visível nas nossas comunidades. Praticamente todas elas têm ou tiveram a presença de algum irmão ou irmã cursilhista ao longo de suas existências. E isso nada mais é do que a construção do Reino já aqui na Terra.

Viva a vida! O mundo ficou mais bonito, ficou “De Colores” no coração de muitos que conheceram o Plano de Deus e sua Graça, e se puseram no seguimento incondicional de Jesus Cristo, nosso mestre e Senhor, depois daqueles “três dias” arrebatadores.

Mas nada disso nos pertence. Tudo pertence ao Senhor e somente a Ele. Embora tenhamos avançado ao longo desses cinquenta anos em que fizemos a caminhada junto com a própria Igreja desde as Conferências de Puebla, Medellin, Santo Domingo e, por fim, Aparecida, há ainda muito por fazer. Os desafios são imensos.

O mundo, obviamente, não é mais o mesmo de quando o Cursilho chegou a Guarapuava lá nos idos de 1969. Papa Francisco nos pede uma Igreja em saída. Nestes tempos de pós-modernidade, onde tudo tende a se tornar relativo e banal, onde o homem se faz cético quanto a valores e se individualiza, ao mesmo tempo em que nutre significativa dose de desesperança frente a problemas sociais crônicos como a violência e a corrupção, todos nós, batizados, somos convocados a viver os valores do Evangelho nos diversos ambientes em que estivermos inseridos, de modo a mostrar ao mundo, por meio da nossa vida, por meio do nosso testemunho diário que sim, é possível viver os valores do Reino de Deus já aqui na Terra.

Mais do que nunca, o testemunho de nosso padroeiro São Paulo é vivificante nestes tempos conturbados. É preciso pôr-se a caminho e anunciar o Evangelho com a vida nas diferentes realidades do mundo de forma inculturada, ou seja, respeitando as diferentes culturas e a diversidade, cientes de que devemos servir ao Senhor o tempo todo.

Jesus Cristo que, “tendo amado os seus que estavam neste mundo amou-os até o fim” (Jo 13,1), convoca-nos para idêntica missão: amar nossos irmãos e irmãs que vivem toda forma de indignidade até o fim do nosso quarto dia, com a esperança de que esse nosso quarto dia termine, com a Graça de Deus, no nosso primeiro dia de eternidade.

Até lá, porém, há muito a fazer. Então viva a vida nesse arco-íris, caminho de luz! Faça o mundo ficar mais bonito no teu coração e no coração do seu próximo lá no seu ambiente, porque de mãos dadas, nas mesmas estradas, somos todos irmãos!

Ultreya! Avante! Shalom!

Por Renato Penteado, batizado e Cursilhista

Participante do 55º Cursilho Adulto Masculino – 1999