terça-feira, 15 de outubro de 2019

Artigo

ARTIGO: A “meta” do movimento de cursilhos de cristandade

Podemos entender então que nossa meta, nosso objetivo é fermentar os ambientes em que vivemos com a Boa Nova, o Evangelho de Jesus Cristo, anunciar que “conhecê-lo” pela fé é a nossa alegria.

15/08/2019 15:52:00


Por que as pessoas se reúnem em grupos, organizações, clubes, igrejas, movimentos, pastorais? Basicamente porque têm algo em comum, buscam a mesma coisa, têm um objetivo, um carisma. Isso permite que uma organização não se confunda com outra e que as pessoas possam pôr suas aptidões a serviço de algo ou alguém.

Sendo assim, nós do Movimento de Cursilhos de Cristandade, neste aniversário de 50 anos na diocese de Guarapuava, sempre procuramos seguir um carisma, um jeito de ser, com a seguinte definição: “Movimento eclesial que, mediante um método querigmático próprio, possibilita a vivência e a convivência do fundamental cristão, ajuda a descobrir e a realizar a própria vocação pessoal, além de promover grupos de cristãos que fermentem de Evangelho os ambientes, através da amizade”.

Podemos entender então que nossa meta, nosso objetivo é fermentar os ambientes em que vivemos com a Boa Nova, o Evangelho de Jesus Cristo, anunciar que “conhecê-lo pela fé é a nossa alegria; segui-lo é uma graça, e transmitir este tesouro aos demais é uma tarefa que o Senhor nos confiou ao nos chamar e nos escolher.” (DAp-18)

E para que tudo isso aconteça, procuramos formar Núcleos de Comunidades Ambientais, ou também as chamadas Pequenas Comunidades de Fé, conforme cita a Igreja em vários de seus documentos. Vemos assim que o MCC é um movimento que caminha com a Igreja, que busca orientar pessoas com os valores do Evangelho em lugares que se tomam decisões importantes sobre a vida das pessoas, por meio de um método de anúncio querigmático vivencial, ou seja, da Boa Nova do Reino de Deus por meio do testemunho de vida no cotidiano.

Assim, buscamos ir além das fronteiras territoriais ou geográficas ou até mesmo da vivência nos ambientes de dentro da igreja. Assumimos que a tarefa do leigo não é a de somente ficar na sacristia, participando de várias pastorais e/ou outros movimentos. Apesar de ajudarmos na Liturgia, darmos catequese, rezarmos o terço, participarmos de grupos bíblicos, fazermos visitas domiciliares e entendermos que estas são iniciativas altamente positivas, nós também buscamos construir um movimento de transformação de ambientes, principalmente por meio de nosso testemunho de cristãos que um dia fizeram um verdadeiro encontro com Cristo no Cursilho. Vivemos uma autocobrança constante para reverter casos de injustiça, desamor, desunião, “guerras” nas realidades do mundo, buscando ser Igreja onde ela, só por meio de nós, pode ser sal da terra e luz do mundo.

Na prática, procuramos formar grupos de cristãos do mesmo ambiente ou área de atividade humana, que, comprometidos pelo Batismo com o Plano de Deus, com seu Reino e com o ato de seguir Jesus, assumem sua vocação por meio de sua presença marcante de verdadeiros cristãos neste ambiente.

A reunião da pequena comunidade ou também chamado de núcleo ambiental, propicia um clima de amizade fraterna, de oração, de reflexão da Palavra de Deus e, consequentemente, de uma vivência comunitária de uma espiritualidade encarnada. O fundamental é a presença-testemunho e o apoio que buscamos no tripé do cristão: Oração, Formação e Ação.

Carlos Maciel de Lima

65° Cursilho masculino para adultos - 2010