quinta-feira, 9 de julho de 2020

Notícias

Morre na Itália o padre missionário Nicola Silvestri

O sacerdote italiano vivia no Brasil há quarenta anos. Nas últimas duas décadas ele exercia seu ministério na prelazia de São Félix do Araguaia, local onde atua o padre da diocese de Guarapuava, Jair dos Santos Arruda.

19/05/2020 16:19:00


Morreu, na madrugada de 19 de maio, na cidade de Lugo, na Itália, o padre Nicola Silvestri. O religioso de 79 anos, vivia no Brasil há 40 anos e, ultimamente, atuava na Prelazia de São Félix do Araguaia, em Mato Grosso.

Há algum tempo sofrendo de leucemia, ele retornou à Itália no início deste ano para tratamento, mas não resistiu e morreu.

O religioso nasceu no dia 12 de agosto de 1940 em Santa Croce di Magliano, Itália. Seus estudos foram realizados na cidade de Ímola, no mesmo País. Foi ordenado presbítero na mesma cidade, incardinado na diocese de Ímola, no dia 24 de junho de 1967, tendo como bispo ordenante Dom Benigno Carrara. Celebrou a primeira missa no dia seguinte na igreja de Santa Rita em Bolonha. Entre 1967 e 1979, foi vigário cooperador na paróquia “San Giacomo Maggiore Apostolo”, em Lugo. Dedicou 40 anos de sua vida como missionário no Brasil, sobretudo, na diocese de Santo André, em São Paulo, com o projeto missionário Igrejas Irmãs (Ímola-Santo André). Ele chegou ao Brasil no dia 19 de julho de 1979. Há 20 anos, trabalhava como missionário na prelazia de São Félix do Araguaia, atuando nas paróquias de Porto Alegre do Norte e Canabrava.

O pároco da paróquia Santa Maria Imaculada Conceição, de Santa Maria D’este, padre Erico Gabriel Gurkowski, que trabalhou como missionário na prelazia de São Félix do Araguaia, contou que embora não trabalhando diretamente com padre Nicola, conhecia muito bem os serviços que o sacerdote prestava em favor da Igreja, sobretudo, com foco nos mais pobres. “Nós não chegamos a trabalhar na mesma paróquia. Eu estava em uma região mais afastada, e ele, no centro da prelazia. Nossos encontros eram durante as formações. Era uma pessoa muito inteligente e dedicada. Padre Nicola deixa um exemplo missionário muito vivo para todos nós. Rezemos pelo seu descanso eterno”, pontua padre Erico.

O diretor do Centro Comunitário Missionário (CCM), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), padre Paulo Adolfo Simões, deixou uma mensagem ao amigo, com quem conviveu por muito tempo e, segundo destacou, aprendeu muitas coisas em se tratando de evangelização, humildade e amor a Deus.

“Padre Nicola foi um verdadeiro missionário, discípulo fiel de Jesus Cristo, amigo dos pobres. Deixou sua bela Itália e confortável diocese para anunciar o Evangelho em terras brasileiras. Primeiro, em Santo André, na área metropolitana de São Paulo e depois, na Igreja de São Félix do Araguaia, vivendo por mais de duas décadas em Porto Alegre do Norte, quando serviu também à região de Canabrava. Viveu na humildade e alegria, na pobreza e na simplicidade como convém a um discípulo do Divino Mestre. Mas sua humildade nunca escondeu sua sabedoria e formação humana, social e teológica aprimoradas. Era simples e humilde por opção evangélica. Embora seja lembrado pelas duas belas igrejas matriz construídas nas duas cidades brasileiras, sua maior obra foi construir uma Igreja ‘Povo de Deus’.  Agora está com Deus intercedendo por nós. Mesmo que não seja inscrito no rol dos santos, Porto Alegre do Norte e Canabrava serão sempre testemunhas de que conheceram um padre santo. Nicola vive”, escreveu o sacerdote.

Quem também deixou uma mensagem de condolências e afeto ao padre Nicola, foi o historiador da diocese de Santo André, SP, padre Felipe Cosme Damião Sobrinho.

Leia na íntegra:

Padre Nicola Silvestri, um sacerdote italiano, grande missionário com coração radicado no Brasil. Em 1980, chega a São Bernardo do Campo, junto com os padres Leo Commissari e Sante Collina. Iniciam, junto com as religiosas de cinco congregações, o trabalho do projeto missionário Igrejas irmãs Ímola-Santo André.

Num tempo de grande movimentação do Grande ABC e em todo o Brasil que lutava pela democracia, os padres assumiram as grandes periferias da cidade, hoje compostas por quatro paróquias organizadas. Foram morar num barraco no Parque São Bernardo e evangelizaram com a vida. Padre Leo, com o derramamento de seu sangue. Foram apóstolos e irmãos no meio do povo e a serviço do povo.

Padre Nicola tornou-se conhecido pela sua profunda espiritualidade e sua humildade.  Homem de sabedoria, viveu no meio do povo suscitando protagonismo e esperança.  Colaborou na formação de presbíteros da diocese de Santo André como diretor espiritual do Seminário. Viveu a fraternidade no presbitério da diocese, na vida pastoral e na colaboração com Dom Cláudio Hummes e Dom Décio Pereira, bispos diocesanos. Após 20 anos de vivência na querida São Bernardo do Campo, avançou para águas mais profundas.  Foi para a Prelazia de São Félix do Araguaia, passando a colaborar com o mesmo amor e dedicação com os bispos Dom Pedro Casaldaliga, Dom Leonardo Ulrich Steiner e Dom Adriano Ciocca Vasino, os irmãos padres e agentes pastorais.

Homem desapegado, entregue a Cristo, ao Reino e aos irmãos.  Vive com Ele agora a Sua Páscoa, apresentando ao Bom Pastor os talentos multiplicados pela fecundidade do seu ministério presbiteral entre nós.

TERRA NATAL

O portal de notícias italiano Primo Numero, compartilhou uma reportagem sobre padre Nicola, por ocasião de sua morte. O material foi traduzido para a língua portuguesa e pode ser lido na íntegra abaixo:

Adeus ao padre Nicola Silvestri, missionário na Amazônia de Santa Croce di Magliano

Condolências da diocese de Termoli-Larino pela morte do sacerdote Nicola Silvestri, missionário há mais de 40 anos no Brasil destes, 20 na Amazônia. Ele é originário de Santa Croce di Magliano.

O bispo da diocese de Termoli-Larino, Monsenhor Gianfranco De Luca e toda a comunidade diocesana, expressam condolências e proximidade dos familiares pela morte, aos 79 anos de idade, em Lugo (Imola), do padre Nicola Silvestri, originário de Santa Croce di Magliano e do missionário Fidei Donum há mais de quarenta anos no Brasil, sendo que por duas décadas, dedicou-se à Amazônia Brasileira, no Estado de Mato Grosso, Prelazia de São Félix do Araguaia .

Uma missa de sufrágio será celebrada no domingo, 24 de maio, às 19 horas, na igreja de Sant'Antonio di Padova, em Santa Croce, onde o padre era conhecido e retornou várias vezes para prestar seu testemunho de fé, serviço e amor ao próximo.

“A vida faz sentido quando é dedicada ao outro. Você nunca para de dar aos outros”. Com esta expressão tão querida do padre Nicola, nos unimos à comunhão de oração, confiando-nos ao Senhor junto à diocese de Ímola, à qual o sacerdote sempre esteve vinculado ao projeto das “Igrejas irmãs”.

Nos últimos anos, ele exerceu seu ministério como Vigário Geral na prelazia de São Félix do Araguaia, no sul da Amazônia, comprometendo-se com alegria e senso de missão pela educação integral e desenvolvimento humano de todas as irmãs e irmãos que conheceu. Assim como o Papa Francisco nos confirmou na recente exortação apostólica “Querida Amazônia”, agradecemos a este irmão por toda sua dedicação, espiritualidade e vivência.

Com informações do portal de notícias Primo Numero e diocese de Santo André

Galeria de Fotos