domingo, 24 de janeiro de 2021

Agenda

Diocese de Guarapuava conta com novo diácono

José Vitor Cozechen Seller, recebeu a ordem diaconal de Dom Amilton Manoel da Silva, bispo da diocese de Guarapuava. “A esperança não engana” (Rm 5,5), foi o lema escolhido por ele.

14/12/2020 10:46:00


Em 12 de dezembro, às 10h da manhã, na catedral Nossa Senhora, em Guarapuava, o seminarista José Vitor Cozechen Seller, foi ordenado diácono.

Dom Amilton Manoel da Silva, bispo diocesano, presidiu a celebração.

Como lema para este novo passo rumo ao sacerdócio, José Vitor escolheu o versículo do livro de Romanos, que diz: “A esperança não engana” (Rm 5,5).

Para Dom Amilton, o momento foi motivo de muita alegria para a diocese de Guarapuava, pois toda a ordenação é o resultado das orações e incentivo de uma comunidade que não abandona seus vocacionados.

“Este é um momento de mistério muito importante para a Igreja, onde todos nós nos encontramos enquanto diáconos em Cristo. Se olharmos para Deus, ao enviar seu próprio filho, como modelo de serviço para nós, Ele nos inspira a sermos servidores em nossa vida. A diaconia tem início nos primórdios da Igreja, em uma necessidade dos pobres. Aqueles que foram ordenados pelos apóstolos, tinham a missão de atender a parte do corpo místico mais frágil, que não era atendida. Como as viúvas gregas que reclamavam que não eram bem atendidas diante das judias, por exemplo. Os apóstolos resolveram, não por vontade própria, mas pela força da oração, em um cumprimento com as necessidades da Igreja de Cristo, naquele momento. A diaconia se inicia para o serviço dos pobres. Extra, fora da Igreja. Ao longo dos tempos, a diaconia foi ligada ao altar, à Palavra, à liturgia. O Papa Francisco tem lembrado sempre a importância dos diáconos transitórios, como o José Vitor, hoje, aqui e do diaconato permanente, como um serviço importante à Igreja. Este é, portanto, um momento de esperança. E como nós precisamos de esperança”, exclamou Dom Amilton durante a homilia.

MAIS CEDO

Durante a Assembleia do Clero, realizada de 3 a 5 de novembro últimos, na casa de Líderes Nossa Senhora de Guadalupe, em Guarapuava, o bispo acolheu os novos padres ordenados em Pitanga, em 31 de outubro, Everton Pavilaqui, Herick Rogger Pinchesk Vitchemechen e Marinaldo Cheliga. Na oportunidade, Dom Amilton deu as Ordens Menores aos seminaristas Matheus Kurta, João Lucas Ribas, Anselmo Freski e ao recém-ordenado diácono, José Vitor Cozechen Selle.

O bispo classificou como “uma verdadeira bênção” a chegada dos três novos padres, a ordenação diaconal de José Vitor e a instituição das ordens menores a outros jovens, além do despertar do interesse de muitos adolescentes das comunidades que têm buscado informações e discernimento quanto à vocação sacerdotal. “Nesses dias de assembleia, estes são momentos de muita alegria para a Igreja e para a diocese. Eu me sinto muito feliz em chegar e já contar com gente nova. Estamos em uma grande campanha vocacional, que já havia, mas que estamos intensificando e esses jovens têm nos procurado. Temos uma perspectiva muito bonita. A messe é grande e os operários são poucos, mas há muita gente nos procurando. Isso significa que o jovem não está perdido, como muita gente diz ou imagina. O jovem procura sim, um sentido para sua vida e muitos têm encontrado sentido no sacerdócio, consagrando-se a Deus e ao Seu povo”, sublinhou Dom Amilton na ocasião.

Em entrevista, José Vitor falou da alegria que sente pelo momento considerado um dos mais importantes de sua vida. “Em relação à ordenação diaconal, o meu coração está cheio de alegria e de gratidão em poder servir à Igreja de Guarapuava e ao povo de Deus, por meio do ministério ordenado. Depois de tantos anos de estudo, de preparação e de discernimento, eu me sinto pronto a dar um passo, agora decisivo, a esta entrega da minha vida para a messe do Senhor e ser acolhido pela Igreja, também como um colaborador, agora, do ministério diaconal. Eu me sinto muito feliz, honrado e quero sempre me pôr sob a proteção de Nossa Senhora de Belém, nossa padroeira”, pontuou o então seminarista, na ocasião.

Durante a ordenação, o diácono disse que a esperança será sempre a motriz de sua vida. Conforme destaca, sem esperança, há apenas o vazio, a incerteza e o medo. “Eu tenho tão somente a esperança no Senhor. Esperança em Jesus Cristo, que me chamou, me conduziu, me confirmou e me consagrou. Por quê? Porque ele foi fiel. Estou aqui para servir à Igreja do Senhor, para servir à comunidade de Guarapuava”, concluiu.

SOBRE O NOVO DIÁCONO

José Vitor Cozechen Seller, nasceu em Guarapuava, no dia 20 de março de 1994. Ele é filho de Diva Mara Cozechen Seller e Riney Antonio Seller. Tem uma irmã, Maria Eduarda Cozechen Seller.

O jovem entrou para o Seminário Diocesano Nossa Senhora de Belém em Guarapuava, em 2013, quando tinha 19 anos de idade. Naquele ano, ele curso o Propedêutico.

Em seguida, de 2014 a 2016, o seminarista estudou Filosofia no Seminário Bom Pastor, em Francisco Beltrão.

Em 2017, José Vitor foi para o Seminário Maior Nossa Senhora de Belém, em Curitiba. Lá, ele cursou Teologia (Studium Theologicum) na Faculdade Claretiana de Teologia, concluindo o curso recentemente, em dezembro de 2020.

O estágio pastoral de José Vitor foi realizado na paróquia Santo Antônio Maria Claret, em Curitiba, comunidade esta que está sob os cuidados da diocese de Guarapuava.

Galeria de Fotos