sábado, 26 de setembro de 2020

Notícias

Dom João Justino de Medeiros: “Não há como prescindir da arte enquanto se vive”

No Brasil, o Dia Nacional da Arte é comemorado em 12 de agosto – data em que se celebra as atividades artísticas e o artista. Esta celebração está prevista na lei que regulamenta a profissão de artista.

12/08/2020 16:54:00


Teatro, cinema, música, literatura, circo, dança, pintura e entre outras tantas atividades artísticas fazem parte da “arte”, entendida conforme o artigo ‘Arte’, publicado pelo site Brasil Escola, como forma de o ser humano expressar suas emoções, sua história e sua cultura através de alguns valores estéticos, como beleza, harmonia e do equilíbrio.

Para o arcebispo de Montes Claros (MG) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Cultura e Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom João Justino de Medeiros, a formação cultural de um povo está diretamente associada às muitas expressões da linguagem artística.

“Se pensamos, por exemplo, a música, encontraremos um enorme campo da formação de cada pessoa. Alguém, mesmo sem ter a habilidade de cantar, compor, tocar algum instrumento, ao longo de sua vida vai ter acesso às inúmeras manifestações da linguagem musical. O mesmo pode ser considerado da dança e das outras artes”, apontou.

O bispo destaca que o ser humano se expressa pelas artes. “Não há como prescindir da arte enquanto se vive, pois ela atravessa a nós e a toda a história de um povo. Inclusive as manifestações religiosas ganham expressões artísticas”, disse.

RECONHECIMENTO DOS ARTISTAS

No Brasil, o Dia Nacional da Arte é comemorado em 12 de agosto – data em que se celebra as atividades artísticas e o artista. Esta celebração está prevista na lei que regulamenta a profissão de artista.

De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), “dada a diversidade das atividades realizadas por um artista, a Lei 6.533 e o Decreto 82.385, ambos de 1978, regulamentam a profissão como ‘Artista e Técnico em Espetáculos de Diversões’ e reconhece mais de 100 funções, que foram divididas em Artes Cênicas, Cinema e Fotonovela”.

Segundo a legislação brasileira, artista é o profissional que “cria, interpreta ou executa obra de caráter cultural de qualquer natureza, para efeito de exibição ou divulgação pública, através de meios de comunicação de massa ou em locais onde se realizam espetáculos de diversão pública”.

O escritor Ernst Fisher, autor do livro ‘A necessidade da arte’, fala na obra sobre a relação do homem com o mundo através da arte já que ela também é produzida, acima de tudo, por uma necessidade de expressão. “A função essencial da arte para uma classe destinada a transformar o mundo não é a de fazer mágica e sim a de esclarecer e incitar à ação; mas é igualmente verdade que um resíduo mágico na arte não pode ser inteiramente eliminado, de vez que sem este resíduo, provindo de sua natureza original, a arte deixa de ser arte”, destaca Fischer.

Segundo o site Brasil Escola, as produções artísticas são representações e reinvenções de períodos históricos, e, somado ao valor cultural, são fundamentais para a formação humana. Por isso, segundo Dom João, neste momento de pandemia, onde todas as manifestações artísticas tiveram de ser paralisadas é importante celebrar, dar visibilidade, e apoiar a arte e quem vive dela. O arcebispo reforça que esta é uma ótima oportunidade para destacar os valores das artes, que são manifestadas das mais variadas formas.

CNBB