domingo, 24 de janeiro de 2021

Notícias

Comunidade Bethânia celebra 20 anos de atuação em Guarapuava com tríduo

A Comunidade Bethânia, em Guarapuava, está localizada no prolongamento do Bairro Santana, estrada da Comunidade Guabiroba. Informações podem ser obtidas pelos telefones 42 3622 7457 e 42 98413-5220.

23/11/2020 15:18:00


No último dia 22 de novembro, a Comunidade Bethânia, em Guarapuava, completou seus 20 anos de presença na diocese.

Para celebrar o momento e a importância da instituição que todos os dias faz história na restauração de vidas, um tríduo foi preparado de 19 a 21 de novembro.

Padre Carlos de Oleira Egler, pároco da paróquia Santa Cruz e Nossa Senhora das Dores, presidiu a missa do dia 19, às 19h30, com o tema “Restaurados para Amar”. No dia 20, no mesmo horário, foi a vez de padre Nivaldo da Silva, pároco da paróquia Santa Terezinha, celebrar a missa que teve por tema: “Bethânia, lugar de vida plena”. Encerrando o tríduo, Dom Antônio Wagner da Silva, bispo emérito de Guarapuava, presidiu a missa que não teve um tema definido. Na ocasião, Dom Wagner crismou quatro jovens, que são considerados filhos de Bethânia. Para a comunidade, o sacramento da crisma é tido como o amadurecimento da fé.

Dom Amilton Manoel da Silva, bispo da diocese de Guarapuava, foi quem rezou a missa de domingo, dia 22 de novembro, às 10h da manhã, encerrando as comemorações dos 20 anos de Bethânia em Guarapuava.

“A Comunidade Bethânia celebrou seus 20 anos de fundação e presença na diocese de Guarapuava. O servo de Deus, padre Léo (Tarcísio Gonçalves Pereira), abriu esta comunidade no ano 2000. Gratidão a Deus, pelos consagrados e voluntários, recuperando vidas e reintegrando pessoas na sociedade, na família e na religião. Quatro internos receberam o sacramento da Crisma. Deus seja louvado”, pontuou Dom Amilton.

Por causa da pandemia de Coronavírus, todas as medidas de distanciamento social e de proteção à vida, foram respeitadas.

AÇÕES

A instituição que trata de pessoas com dependência química, se instalou na cidade no ano de 2000, a pedido de Dom Antônio Wagner da Silva, atual bispo emérito, à época, bispo coadjutor, que percebeu a necessidade deste trabalho junto à diocese. “Chegamos a Guarapuava atendendo ao pedido do próprio Dom Wagner que se dirigiu diretamente ao padre Léo (Léo Tarcísio Gonçalves Pereira, sacerdote da congregação Sagrado Coração de Jesus - SCJ) para aqui iniciar esta caminhada cheia de histórias e de provações. Desde então, muitos foram os trabalhos desenvolvidos com a ajuda da comunidade. Para nós, é uma bênção poder contar com o apoio e a acolhida de todos”, ressaltou Lucas Wippel, consagrado da Comunidade Bethânia, em entrevista concedida em 2017.

Muitas são as pessoas que buscam na instituição a oportunidade de se livrar dos vícios em drogas e restabelecer suas vidas. O caminho, conforme as diretrizes da instituição, é difícil e baseado na oração e persistência. No entanto, conforme se comprovou, esta é a melhor maneira existente para que um dependente de drogas se liberte do problema e busque um encontro verdadeiro com Jesus Cristo.

SOBRE A COMUNIDADE

A Comunidade Bethânia nasceu, segundo sua história, “a partir da inspiração que o Espírito Santo despertou no coração do padre Léo Tarcísio Gonçalves Pereira, sacerdote da congregação Sagrado Coração de Jesus (SCJ)”. A criação da comunidade, conforme dizia padre Léo, foi uma resposta concreta à grande necessidade de combater o problema das drogas, o aumento de soropositivos, o grande número de adolescentes grávidas solteiras e abandonadas e o crescente número de menores desocupados nas periferias das cidades.

Dentre os trabalhos que exerceu, padre Léo teve a oportunidade de atuar como diretor da Comunidade Bethânia e no Colégio São Luiz, em Brusque (SC), onde também prestava atendimento espiritual às famílias e jovens da região. Através das pessoas que procuravam ajuda e que o padre ouvia e orientava, notou-se que o problema das drogas era uma urgência a ser combatida.

A partir dessa experiência pessoal, padre Léo contou que sentiu a necessidade de proporcionar a essas pessoas um lugar e um ambiente que revelasse um jeito novo de viver, saudável e pleno. Notou-se também, a necessidade de uma ação concreta de promoção social e um sério trabalho visando transformações da sociedade e a urgência de um ambiente apropriado para uma retomada de vida através da pregação de retiros espirituais e cursos que ajudassem na redescoberta de um novo sentido para a vida.

“Inspirada na Bethânia bíblica, olhando para os irmãos, Marta, Maria e Lázaro, esta Comunidade nasceu como casa de acolhida dos diversos marginalizados da sociedade que procuram um novo jeito de viver. Assim, Comunidade Bethânia, não é um centro de recuperação e nem uma clínica onde se internam pessoas para tratamento. Bethânia é um recanto onde as pessoas são chamadas a acolher quem vai até o local como o próprio Cristo e com ele ser família. Não temos pacientes, mas sim filhos e filhas”, diz o documento sobre a história da comunidade.

“Padre Léo sempre deixou claro que nós não curamos ninguém. Este é um trabalho que deverá ser feito por cada um, deve partir da vontade de cada ser humano. As pessoas que vivem na comunidade com a vocação e missão de acolher são colaboradoras no processo de restauração, procurando ajudar filhos e filhas a redescobrir um novo jeito de viver. Na Comunidade, todos têm o compromisso de oferecer sua amizade, orações e uma oportunidade para cada um trilhar seu caminho, segundo o seu próprio esforço e persistência. Não existem curas mágicas para a dependência química, ou qualquer outra dependência. Em Bethânia, cada um deve ser o primeiro responsável em se ajudar”, reforça o texto.

Em resposta ao ideal do sacerdote, muitas pessoas de diversas regiões do País, aderiram ao projeto voluntário, humanitário e restaurador. Em São João Batista (SC), padre Léo recebeu um terreno, onde a Comunidade Bethânia concretamente iniciou seus trabalhos de acolhimento no dia 01 de maio de 1996.

SERVIÇO

A Comunidade Bethânia, em Guarapuava, está localizada no prolongamento do Bairro Santana, Estrada da Comunidade Guabiroba.

Informações podem ser obtidas pelos telefones 42 3622 7457 e 42 9 8413-5220.

Doações em dinheiro podem ser feitas no Banco do Brasil:

Ag: 0299-2

Conta corrente: 44320-4

 

Galeria de Fotos