domingo, 13 de junho de 2021

Artigo

ARTIGO: Três pistas da Bíblia para você saber se realmente perdoou

Folhando a Bíblia, podemos encontrar algumas pistas para saber o que realmente significa perdoar. A primeira pista podemos deduzir do Evangelho segundo Lucas.

28/04/2021 11:02:00


Uma dúvida que persiste para muita gente de fé é sobre o real significado de perdoar uma pessoa do fundo coração. Para alguns, perdoar significa esquecer a ofensa, ou desculpar as injurias, ou ainda sofrer uma ofensa calado, reativar um relacionamento, não sentir mais nada...

Essas incompreensões em torno do perdão levam as pessoas ao sofrimento psíquico e espiritual. Alguns chegam a se culpar porque não conseguem esquecer uma ofensa sofrida por parte de alguém que amava. Já vi na Igreja, pessoas lamentando que tentam perdoar, mas o ressentimento continua. Também encontrei pessoas afirmando que não perdoam porque fulano de tal não merece perdão.

Lamentavelmente, afirmações como essas acima resultam de uma compreensão equivocada sobre o tema do perdão. Diante de tantas afirmações ambíguas, acredito que mais do que falar sobre o perdão, os católicos hoje precisam compreender o que significa perdoar. “Mas como realmente saber se tenho perdoado?”, ainda diriam alguns. Por conseguinte, considero de suma importância apresentar uma orientação de modo que todos entendam o que significa perdoar do fundo do coração.

Folheando a Bíblia, podemos encontrar algumas pistas para saber o que realmente significa perdoar. A primeira pista podemos deduzir do Evangelho segundo Lucas. Quando se perdoa continua fazendo o bem, sem desejar o mal à pessoa que o ofendeu: “Amem vossos inimigos, façam o bem a quem vos odeiam, bendigam aos que vos maldizem” (Lc 6,27-28). Uma segunda pista podemos extrair do ensinamento de São Paulo: “Não paguem a ninguém o mal com o mal; não se vinguem de nada” (Rm 12,17.19). Por fim, a terceira pista também pode ser encontrada no ensinamento de São Paulo: “Se teu inimigo tem fome, dá-lhe de comer; se tem sede, dá-lhe de beber; fazendo isso amontoarás brasa sobre tua cabeça” (Rm 12,20).

Essas três pistas podem ser tomadas como sinais de que uma pessoa realmente perdoou seu próximo do fundo do coração, pois na medida em que uma pessoa não deseja o mal para outro (pista 1); não vinga seu ofensor (pista 2), e trata com caridade seu inimigo ou ofensor, significa que essa pessoa está vivendo a dinâmica do perdão.

Contudo, algumas pessoas lamentam que mesmo decidindo perdoar, persistem sentimentos de mágoa, rancor, tristeza e ressentimento. Nesse caso, segundo o psicólogo americano Everett Worthington, mesmo que do ponto de vista espiritual a pessoa tenha perdoado, ainda deverá trabalhar o perdão emocional para sanar as feridas sentimentais de um atrito. Esses sentimentos perturbadores, além de tempo, em alguns casos mais extremos precisam do auxílio de terapia para serem vencidos.

Padre Gilson José Dembinski

Parapsicólogo, pós-graduado em Bíblia e Ensino Religioso Escolar