sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Dom Amilton

25º Domingo do Tempo Comum - Dom Amilton Manoel da Silva, CP

As pessoas, com frequência, querem ser grandes. E, movidas pela “sabedoria do mundo”, lutam com todas as forças para conseguir os primeiros lugares; aí está a origem de muitos conflitos.

18/09/2021 13:30:00


As pessoas, com frequência, querem ser grandes. E, movidas pela “sabedoria do mundo”, lutam com todas as forças para conseguir os primeiros lugares; aí está a origem de muitos conflitos.

A Primeira Leitura (Sb 2,12.17-20) aponta conflitos na comunidade de Alexandria. No século I a.C., os judeus praticantes de Alexandria são hostilizados pelos pagãos e desprezados pelos judeus não praticantes. O autor sagrado reflete sobre o destino dos “justos” e dos “ímpios”.

Na Segunda Leitura (Tg 3,16-4,3), Tiago exorta os cristãos a viverem segundo a “Sabedoria de Deus” e denuncia a desunião na sua comunidade, apontando a raiz de tudo isso: “Onde há inveja e rivalidade, aí estão as desordens e toda a espécie de obras más…”.  Uma oração realizada nesse clima não pode ser escutada por Deus.

O Evangelho (Mc 9,30-37) apresenta um conflito entre os apóstolos...  
Ao longo da caminhada para Jerusalém, Jesus vai catequizando e mostra que a busca do poder não pertence ao reino de Deus e faz o segundo Anúncio da Paixão.  
Os discípulos não compreendem e surge entre eles um forte conflito, que revela a ambição de poder: quem seria o maior... Jesus, então, aponta o caminho para ser o maior, o serviço: “Se alguém quiser ser o primeiro, seja o último e o servo de todos”. Como as crianças: “Quem acolher em meu nome uma dessas crianças é a mim que estará acolhendo”. Criança é sinônimo de pessoa necessitada e dependente, que inspira cuidado...  
Quais as crianças que suscitam a nossa solidariedade? Qual é o tipo de grandeza que estamos procurando?  

Bom domingo!
Deus te abençoe!