sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Dom Amilton

26º Domingo do Tempo Comum - Dom Amilton Manoel da Silva, CP

Neste domingo, celebramos o Dia da Bíblia!

25/09/2021 13:30:00


Na Primeira Leitura (Nm 11, 25-29), vemos que a Palavra não é monopólio de ninguém. Moisés já idoso sente-se incapaz de continuar dirigindo o povo. O Senhor lhe propõe a escolher setenta anciãos que, depois de ungidos pelo Espírito, o ajudariam nessa tarefa.
Ele assim fez, mas eles não continuaram. E dois, que não estavam no grupo, começaram a profetizar.  
Josué pede que se calem, mas Moisés se alegra com o fato de compartilhar com outros a sua responsabilidade. O perigo é querer fazer tudo sozinho, ou pior, não dar vez a ninguém.  
Qual tem sido a nossa atitude na comunidade: queremos fazer tudo sozinho (como Moisés), ou pelo ciúme (como Josué), buscamos impedir o trabalho de quem não for do “grupo”? 

Na Segunda Leitura (Tg 5,1-6), Tiago denuncia o acúmulo de riquezas de alguns, à custa da miséria de muitos.

O Evangelho (Mc 9,38-43.45.47-48) mostra que ninguém tem o monopólio de Cristo.  
Os apóstolos não conseguem expulsar o espírito mudo de uma pessoa. Pelo contrário, uma pessoa “fora” do grupo consegue, em nome de Jesus. Os discípulos, aborrecidos, manifestam sua insatisfação. Jesus rejeita o exclusivismo.  
As leituras lembram que a Palavra de Deus e o nome de Jesus, não são monopólios de ninguém. Mais do que pertencer ao grupo de Cristo, o importante é estar “em sintonia” com Jesus. Não “escandalizar” os pequenos lembra a atitude que as pessoas e as comunidades devem ter para com os pobres, os que falharam, os marginalizados pela sociedade...  
Na Igreja, há de existir servidores, por que “os donos” não estão servindo à comunidade, mas a si mesmos, a seu orgulho, à sua vaidade...  
Sentimo-nos “donos” ou instrumentos da Palavra de Deus?  

Bom domingo!
Deus te abençoe!